Seguidores

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Blogues, Blogueres e Blogosfera

Síntese
Na dieta de novos media dos portugueses, os blogues são ainda um media de introdução recente e pouco difundido, embora em crescimento. No conjunto da população portuguesa, apenas 1/5 das pessoas sabem o que é um blogue. No conjunto dos internautas portugueses, apenas cerca de metade sabe o que é um blogue, 1/4 navega regularmente na blogosfera, e 1/7 criou o seu próprio blogue.

No que respeita à sua actividade de blogging (consulta, interacção e produção de conteúdos para blogues), os blogueres portugueses têm maioritariamente um perfil jovem (adolescente e jovem adulto), sendo este perfil mais acentuado entre os produtores de conteúdos de blogues, os quais são maioritariamente indivíduos do sexo masculino, estudantes do ensino secundário e superior; enquanto os blogueres-consumidores revelam um perfil mais heterogéneo, incluindo uma maior proporção de indivíduos adultos mas não idosos, um equilíbrio entre homens e mulheres, e graus de escolaridade mais elevados.

Na percepção dos blogueres portugueses, a blogosfera em geral não é dominada pela prática jornalística nem pela agenda dos mass media tradicionais. Em comum, os blogueres portugueses também partilham a ideia da forte segmentação temática da blogosfera.pt, e entre a pluralidade temática ambos canalizam as suas preferências para a leitura, interacção e produção de blogues relacionados com entretenimento (40%) seguido pelos lifelogs (entre 20% no caso dos blogueres-consumidores e 30% no caso dos blogueres-produtores).

Os restantes blogues temáticos surgem muito abaixo na hierarquia de preferência de ambos: blogues sobre comunicação e cultura 12%; temas polémicos da agenda noticiosa dos media tradicionais 11%; e uma vasta lista de blogues cobrindo temas políticos, profissionais, ambientais, saúde, desporto, informática, literatura, entre outros, que representam expressões iguais ou inferiores a 4% das preferências por tema). É ainda incipiente na percepção da generalidade dos blogueres portugueses a utilização do blogue para fins comerciais e profissionais.Um terceiro traço comum dos blogueres portugueses é a intensa interactividade que estabelecem com os blogues consultados (93% dos blogueres portugueses costuma habitualmente interagir com os blogues consultados). Um quarto traço comum, situa-se no facto de ambos assumirem como prática regular o cruzamento de fontes, cruzando as informações obtidas através dos blogues com outras fontes de informação.

Todavia, existem vários traços que diferenciam os blogueres-produtores dos blogueres-consumidores portugueses ao nível quer das práticas de blogging quer das percepções sobre a blogosfera.

Enquanto que na percepção dos blogueres-consumidores a vertente da agenda noticiosa dos mass media tem uma expressão muito significativa e marca notoriamente a blogosfera, encarando a blogosfera como uma extensão do espaço público dominante, construído e legitimado pelos mass media tradicionais; os blogueres-produtores encaram preferencialmente a blogosfera como um espaço composto por linkblogs e lifelogs (Ó Baoill 2004). Assim, os blogueres produtores de conteúdos distinguem-se pela sua forte percepção da blogosfera como um espaço duplamente habitado por blogues que se identificam e posicionam na esfera do discurso público alternativo, no qual pretendem afirmar-se como vozes complementares e alternativas ao discurso dominante aos mass media e que tendem a estabelecer-se como fórum sobre determinados temas e assuntos específicos, baseado num discurso de comentário informado e mobilizador, que atrai um vasto número de leitores, intervenientes e comentadores (linklogs); e por blogues eminentemente de carácter pessoal e privado construídos por autores cujo principal objectivo é manter-se em contacto com grupos de pessoas das suas redes sociais offline através de uma espécie de diário pessoal, ou motivado por um prazer de exposição pública da sua expressão pessoal e subjectiva (hobbies, gostos e interesses pessoais, etc), quase sempre baseado num discurso de tipo confessional (lifelogs).

Ainda em contraste, entre os blogueres-produtores sobressai de forma mais acentuada o reconhecimento da blogosfera como um mundo de vozes e autorias plurais, que se consome de forma intensa mas fluida como um contínuo entre modalidades de webjournalism, linklogs e lifelogs, e onde se entrecruzam agendas públicas e privadas. São, também, os blogueres-produtores que atribuem maior grau de credibilidade à informação veiculada nos blogues, o que seria expectável devido ao próprio investimento pessoal que lhe dedicam, e são aqueles que mais utilizam a Internet nas suas várias vertentes como meio de informação e meio de entretenimento, sendo consumidores mais intensivos e competentes de novos media quando comparados com os blogueres-consumidores. Contudo, não sendo a maioria dos blogueres-produtores portugueses profissionais acreditados pela indústria da opinião política veiculada pelos mass media, mas antes amadores que se dedicam à produção de conteúdos de blogues como mais um hobbie, as questões da visibilidade dos conteúdos não se colocam com a mesma acuidade na blogosfera como nos mass media, sendo para a generalidade dos produtores de conteúdos de blogues mais importante a participação e a partilha dos conteúdos baseados em fundamentos mais ou menos informativos, criativos ou divagações do foro pessoal do que a visibilidade mediática.

Por último, na relação entre os novos media e os media tradicionais, enquanto os blogueres-produtores apresentam dietas online mais diversificadas e intensivas e os blogueres-consumidores são mais intensivos nas duas dietas offline; a televisão surge para ambos como um denominador comum na estrutura dos consumos mediáticos que é um dos traços mais marcantes da própria sociedade portuguesa.

Antevisão - Estudo OberCom: Blogueres e Blogosfera.pt
Imagem daqui

2 comentários:

JP Costa e Silva disse...

a introdução para a próxima reunião está feita...obrigado Miguel Loureiro

Miguel Loureiro disse...

Agora falta o pior...