Seguidores

terça-feira, 1 de junho de 2010

Luís Vicente Giay, representante do PRI na XXVII Conferência do Distrito 1970

"Rotary é merecedor do Prémio Nobel da Paz"

Luís Vicente Giay, Argentino, presidiu ao Rotary Internacional no ano de 1996/97. Defensor dos ideias rotários e da afirmação do movimento como uma organização líder entre as que realizam o bem em favor dos demais, em entrevista ao Rotary em Acção fala essencialmente do futuro e dos novos desafios que o Rotary enfrenta.
Vai representar o Presidente de Rotary Internacional na XXVI Conferência do Distrito 1970. O que espera desse encontro dedicado ao tema "Educação e Cooperação"?
Espero que as discussões aumentem ao máximo o conhecimento e dedicação dos rotários num ponto tão vital para a sobrevivência da humanidade como é a Educação. E com a ajuda da cooperação do Rotary e de outras organizações será possível alcançar os propósitos delineados para esta questão.
O ano em que foi Presidente de Rotary Internacional tinha como lema "Construa o Futuro com Acção e Visão". Mais de dez anos depois, como encara os principais desafios que o Mundo atravessa, especialmente no que diz respeito à paz e aos direitos humanos?
Os desafios levantados, não só durante a minha presidência, continuam a ser um grande desafio para o trabalho de todos os rotários. O tema da Paz Urbana, por exemplo, que em 1996-97 foi um dos grandes temas de trabalho, continua a ser um problema crescente em todo o mundo. Obviamente que os vícios, as alterações de ordem, a falta de uma estrutura social para os jovens de hoje, tudo torna este problema ainda mais difícil. Chegamos a um tal ponto em que, para sobressair, um indivíduo já não precisa de um currículo mas de um registo criminal, tal é a deturpação na interpretação dos valores por parte da sociedade actual.
No que diz respeito aos direitos humanos às vezes dói ver como em muitos países protegem delinquentes ou indivíduos subversivos, em vez de cuidarem de um modo e estilo de vida regido pela justiça, democracia e paz.
Defendeu já que os primeiros 105 anos de Rotary foram muito bons para o movimento e consequentemente para o mundo. Quais são agora os principais objectivos do Rotary para o futuro?
O grande desafio que o Rotary tem para o futuro é continuar a ser uma organização líder entre as que realizam o bem em favos dos demais. Os reconhecimentos que tem alcançado e recebe são uma prova de que este papel é importante e necessário para o futuro da humanidade, quanto mais não seja para manter o valor da justiça e a permanência do amor entre os seres humanos como bem se diz na frase "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados e deles é o reino dos Céus".
Assim, e na minha visão pessoal, o grande papel do Rotary é o de se manter à frente na civilização do conhecimento e nas frente das organizações. Esse é o seu destino e está nas nossas mãos colocá-lo no seu devido lugar.
O projecto de erradicação da Pólio é a grande bandeira do Rotary neste momento. Sugeriu que o próximo grande programa de Rotary deveria ser centrado na educação das crianças e das mulheres. Porquê?
Hoje Rotary tem o seu programa corporativo da Pólio Plus e devemos continuar com ele até ao final. Há muitas sugestões sobre quais poderiam ser as actividades ou programas que sucederiam a este esforço extraordinário que foi realizado.
Teria duas formas de poder responder a esta questão:
1)  Desejam os rotários embarcar noutro programa similar a Pólio Plus no futuro, quando este compromisso terminar? e 
2)  estou de acordo que seria oportuno centrar-se num programa educativo para as mães e suas crianças, para poder criar melhores condições de vida nas suas casas, dar formação aos cidadãos dos nossos países, e também seria bom que, ao adoptar um trabalho na área educativa, o Rotary deixe de ser uma organização demasiado orientada para a saúde.
Porque acredita que o Rotary deveria receber o Prémio Nobel da Paz?
O Rotary Internacional e a sua Fundação, sem dúvida alguma, têm méritos de sobra para receber este reconhecimento. Até mesmo o Wall Street Journal, num dos seus editoriais de Abril de 2006, ao referir-se ao trabalho de Rotary na erradicação da Poliomielite disse: "Rotary é merecedor do Prémio Nobel da Paz". Mas este prémio tem o seu júri e este é que toma as decisões. O Rotary receberia este prémio merecidamente.
Como vê o Plano Visão de Futuro da Rotary Foundation? Acredita que as mudanças são essenciais para um melhor apoio aos mais desfavorecidos?
O Plano Visão de Futuro é fruto do sucesso da Rotary Foundation. Todos os dias os rotários têm uma maior demanda de apoio para realizar os seus projectos e não tenho dúvidas de que com o passar dos anos os mais necessitados serão os primeiros beneficiados por estas mudanças em curso.
Quais acredita que devem ser as principais prioridades da Rotary Foundation nos próximos anos?
Fundamentalmente manter-se proactiva face aos problemas que existem na humanidade e procurar posicionar-se definitivamente como uma entidade filantrópica de primeira magnitude.

2 comentários:

matheus arcaro disse...

Oi Miguel.

Podes postar o texto sobre Nietzsche que pediste do meu blog www.oqueinspira.com
É só colocar o devido crédito.

Desculpe a demora em responder.

Abraços
Matheus Arcaro

Miguel Loureiro disse...

Matheus
Como a resposta não vinha, publiquei mesmo.
http://rcpvarzim.blogspot.com/search/label/Temas%20abertos